Foto do dia 22/04: Apu Gomes

Apu Gomes

Garoto envolvido por uma manta como se fosse uma múmia na Cracolândia, Centro de São Paulo.

O mineiro Luis Carlos Gomes chegou em São Paulo com sua família ainda criança. Hoje aos 26 como anos, é conhecido como Apu Gomes, repórter fotográfico da Folha de São Paulo. No começo Apu Gomes trabalhou como motoboy, mesmo assim, sempre andava com sua câmera a tiracolo, clicando cenas da cidade. Trabalhando nesta agência de motoboy, Apu conheceu diversos profissionais, tal como diretores de arte e fotógrafos. Em certa ocasião, Apu separou algumas fotografias e levou para a agência. “Olha aqui! Eu também fotografo!”, disse. A partir de então, o fotógrafo Guto Lima começou a ajudá-lo com algumas dicas. Aconselhou Apu a comprar uma câmera nova e  não queria mais que Apu ficasse nas ruas como moto boy, mas dentro da agência, especificamente dentro do estúdio, como assistente de fotógrafia.

Apu Gomes, então comprou sua primeira câmera fotográfica manual. Para chegar na Ímã Foto Galeria foi apenas um passo. O fotógrafo com quem Apu Gomes trabalhava ficou sabendo do curso de fotojornalismo, com João Bittar. Assim, Apu Gomes e Guto Lima participaram da primeira turma do curso de fotojornalismo na Ímã Foto Galeria. Apu também cursou a próxima turma, a qual o projeto final foram as exposições “Fotonovela” e ”Novos Postais de São Paulo”. Apu Gomes diz que até chegar na  Ímã Foto Galeria, ele não tinha um conhecimento real do que era o fotojornalismo. Diz também que João Bittar é um grande mestre a ser seguido. E completa “Eu gosto de cobrir o que acontece nas ruas, a correria do cotidiano”, finaliza.

Após o primeiro curso de fotojornalismo na Ímã Foto Galeria, Apu decidiu sair da agência a qual trabalhava e partiu em busca de uma agência de fotojornalismo – na qual trabalhou durante oito meses. “Foi nessa nova agência em que o material produzido começou a ser publicado nos jornais e revistas da capital e do interior.”, relembra Apu.

Da agência de fotojornalismo, Apu Gomes tornou-se free lancer no Jornal Diário de São Paulo. Atualmente trabalha na Folha de São Paulo. Suas fotografias já foram publicadas em muitas primeiras páginas. Hoje em dia, desenvolve um trabalho sobre a Cracolândia, do qual esta fotografia faz parte.

Apu Gomes

A Cracolândia ou Boca do Lixo são denominações populares de um setor do bairro de Santa Ifigênia, nas imediações avenidas Duque de Caxias, Ipiranga, Rio Branco, Cásper Líbero e a rua Mauá, onde se historicamente se desenvolveu intenso tráfico de drogas.

Recentemente, a Prefeitura de São Paulo lançou um programa denominado Nova Luz para promover a reconfiguração e requalificação da área. Entre as medidas propostas, destaca-se a renúncia fiscal referente ao IPTU, visando estimular a reformas de fachadas dos imóveis de valor venda inferior a R$ 300 mil.

Desde 2005, a prefeitura fechou bares e hotéis ligados ao tráfico de drogas e à prostituição, retirou moradores de rua e aumentou o policiamento para inibir o consumo de drogas no local. Centenas de imóveis foram declarados de utilidade pública, em uma área de 105 mil metros quadrados, e devem ser desapropriados. O objetivo do programa é tornar a área atrativa a investimentos privados, abrindo espaços para empresas do setor imobiliário.

Críticos do programa, no entanto, assinalam o seu caráter higienista, destacando que a recuperação de edifícios, praças, parques e avenidas não é acompanhada de ações voltadas aos grupos mais vulneráveis que vivem ou trabalham na área – que estão sendo sumariamente expulsos. Os sem-teto são retirados, o trabalho dos catadores de material reciclável é dificultado e os usuários e dependentes de crack (muitos dos quais crianças e adolescentes), impedidos de se reunir no local, são obrigados a perambular pelos bairros vizinhos, em bandos, sem rumo. [3].

Apesar da idealização criada Prefeitura e pelo Governo do Estado, a região continua sendo cenário de homicídios,de tráfico de drogas à luz do dia, bem como de abuso de menores.

Saiba mais: Abaixo duas matérias sobre o fotógrafo Apu Gomes:

http://www.imafotogaleria.com.br/noticias/noticia.php?cdTexto=394

http://www.imafotogaleria.com.br/exposicoes/exposicao.php?cdGaleria=42&cdFotografo=284

Anúncios

Foto do dia 14/04: Tuca Vieira/Ímã Foto Galeria

Tuca Vieira/Ímã Foto Galeria

Esta foto faz parte do seu trabalho Um Caminho nas Índias que esteve em exposição na Galeria Paul Mitchell, em São Paulo, no ano de 2002. Como forma de homenagem ao ano novo indiano de acordo com o calendário solar hindu, celebrado hoje no nordeste da Índia com a festa de Rongali Bihu, que marca o início da primavera e de uma nova temporada para a agricultura, compartilhamos aqui esta foto do Tuca Vieira que faz parte do acervo da galeria.

Tuca Vieira é fotógrafo desde 1991. Formou-se em Letras pela Universidade de São Paulo em 1998. Estudou fotografia com Cláudio Feijó, Eduardo Castanho, André Douek, Nair Benedicto e Eder Chiodetto. Trabalhou no Museu da Imagem e do Som, na Agência N-Imagens e como free-lancer. Fez parte da equipe de fotógrafos da Folha de S. Paulo de 2002 a 2009. Tem trabalhos publicados nos principais jornais e revistas brasileiros. Fez quatro exposições individuais: A Luz da Terra da Sol (1994) e Um Caminho nas Índias (2002), Fotografia de rua, Brasília (2007) e Fotografia de rua em São Paulo (2008); participou das coletivas Foto São Paulo (2001) e Fotojornalismo São Paulo, Retrospectiva 2004. É vencedor do Prêmio Folha de jornalismo – categoria fotografia (2003) e do Prêmio Grupo Nordeste de Fotografia – categoria profissional (2005). Atualmente está com a exposição coletiva Do Espaço Estilhaçado na galeria Micasa, que se encerra no dia 17 de abril. É autor, em parceria com o jornalista Marcelo Coelho, do livro As Cidades do Brasil -São Paulo, pela Publifolha(2005).

Se quiser mais fotos do Tuca visite nosso site: http://www.imafotogaleria.com.br/galeria/fotografo.php?cdFotografo=132

Foto do dia 13/04: Lalo de Almeida/Ímã Foto Galeria

Lalo de Almeida/Ímã Foto Galeria

Menino Evangélico caminha com sua guitarra em Jardim Paraná, Zona Norte de São Paulo. Esta foto faz parte do projeto “Periferias”.

Lalo estudou fotografia do Instituto Europeo di Design em Milão na Itália. Ingressou no fotojornalismo trabalhando em pequenas agências milanesas cobrindo a crônica policial da cidade. Depois trabalhou para a agência Grazi Neri, aonde cobriu assuntos nacionais e internacionais como a guerra da ex-Iugoslávia.

De volta ao Brasil trabalhou para o jornal Estado de S. Paulo, a revista Veja e outras publicações. Desde 1995 é fotógrafo do jornal Folha de S. Paulo, além de colaborar com publicações internacionais como o The New York Times.

Paralelamente vem realizando trabalhos de fotografia documental como o projeto “O Homem e a Terra” sobre as populações tradicionais brasileiras, que recebeu o prêmio máximo da I Bienal de Fotografia de Curitiba em 1996 e foi indicado ao Internationalier Preis Fur Jungen Bildjournalismus em 2003 na Alemanha.

É autor das fotografias do livro Nas Asas do Correio Aéreo lançado em 2002.

Essa foto faz parte do acervo da galeria. Para ver mais fotógrafos do nosso acervo visite nosso site: http://www.imafotogaleria.com.br/galeria/