Estética revolucionária de Guy Bourdin vira documentário

Guy Bourdin

Não tão popular para sua época, o artista visual Guy Bourdin teve maior reconhecimento depois de falecer, em 1991, pelo de seu filho Samuel, que fez questão de divulgar fotos exclusivas em vários museus mundo afora. Isso não significava que sua família não tivesse comprometimento com suas imagens, pelo contrário, como mostra o processo jurídico que Madonna levou depois de usufruir de fotos do autor em seu clipe Hollywood (2004).

Guy guardava os negativos em caixas de sapatos e já ameaçou colocar fogo nelas. Nunca quis publicar livros e nem realizar exposições. Dizia que suas obras deveriam ser consumidas em revistas de moda e esquecidas no mês seguinte, além de não aceitar que uma foto fosse veiculada por outra mídia para qual não foi feita.

Influenciado pelos surrealistas Magritte, Balthus e Bunel, nomes como David LaChapelle, Nick Kight e David Lunch, usaram do seu trabalho como fonte de inspiração.

Guy Bourdin

Parisiense, nasceu em 1928 e foi abandonado pela mãe um ano depois. Recrutado pelo exército francês, viveu no Senegal, onde começou a ter aulas de fotografia. Como tinha grande habilidade como desenhista, fazia inúmeros rascunhos antes de fotografar.

Protegido de Man Ray, em 1950 começou a trabalhar na Vogue Francesa e se destacou pelo estilo ousado, suas cores saturadas, enquadramentos atípicos e composições surrealistas. Suas fotos em paginas duplas, tinham uma personalidade erótica, violenta e irônica, um jogo de real e irreal que transformou a fotografia de moda.

Guy Bourdin

Ganhou prestígio com campanhas para Chanel, Issey Miyake, Versace e Bloomingdale`s. Tornou-se referência em publicidade, pelo seu trabalho para a marca de sapatos Charles Jourdan, durante 14 anos de profissão.

Quem teve a oportunidade de conhecer seu trabalho na exposição do ano passado no MUBE -“Messenger for you”-, irá se entusiasmar muito com o trailler que caiu na rede essa semana, do documentário “When Sky Feel Down – The mythof Guy Bourdin”, dirigido por Sean Brandt. O filme conta com 250 imagens exclusivas, depoimentos de personalidades como Mick Jagger, Annie Lennox, David Bowie, Jane Birken e Catherine Deneuve. Sem data de estréia, a realização do filme tem o apoio da família do artista.

Assista ao trailer do documentário When Sky Feel Down – The mythof Guy Bourdin:

Anúncios